domingo, 17 de outubro de 2010


Artigo.

Ele voltou, o Ronaldo voltou novamente.


por Marlon Marques.


















Ronaldo voltou! Por quanto tempo mais ninguém sabe – o que se sabe é que ele voltou. Eu avalio a sua volta como positiva, porque ele foi muito participativo no jogo. Quando se fala em Ronaldo, se fala em futebol de alto nível – então levando isso em consideração, alguns podem considerar discreta a sua volta. Eu não vejo assim! Dadas as suas condições, é óbvio que ele não têm a mesma mobilidade, não pode voltar para ajudar a defesa e não dá para ele rodar o campo (como antes), cair pelos lados, etc. Então é um erro esperar isso de Ronaldo – gols, isso sim, não apenas se deve esperar, como se deve cobrar dele. Meias fazem gols, mas sua função principal é armar o jogo – o mesmo digo dos zagueiros, fazem seus gols, mas sua função principal é defender (não vou nem citar os goleiros). O centroavante não, é o homem gol. Ele têm a função de marcar sempre – de estar sempre na área para conferir – como disse o lendário Dada Maravilha: “não existe gol feio, feio é não fazer gols”. Há também os centroavantes dos gols bonitos – é o caso de Dodô – e há os centroavantes que não marcam gols, Souza por exemplo – e é justamente por isso que é cobrado pela torcida corintiana – pois sua função é marcar e ele não o faz. Exigir de Ronaldo nessa altura de sua vida (e forma) qualquer outra coisa, é injustiça e desumanidade – agora ele mostra (e mostrou nesse jogo contra o Guarani) que ainda é capaz de jogar bem. Com o abdômen ainda bem saliente – e visivelmente bem mais gordo do que os demais, Ronaldo entrou em campo num domingo bastante quente. Todos vimos que ele sentiu o calor, o cansaço, e precisou de mais água dos que os demais, além de isotônico. E o que há de errado nisso? Como eu disse, nessa altura do campeonato, essa é a forma como ele pode continuar – embora eu seja da opinião de que ele já deveria ter parado há algum tempo. Há um ditado que diz que “quem sabe, sabe” – e Ronaldo mostra que ainda sabe muito. Seu senso de colocação é perfeito – raramente fica em condição de impedimento. E justo nesse jogo de volta – foram assinalados dois impedimentos contra o Corinthians, e em ambos os lances com Ronaldo marcando gols. No primeiro ele recebeu um cruzamento – aparentemente com o seu “abdômen” a frente do marcador – resvala na bola, ela pega no goleiro e corre em direção ao gol e entra – mesmo com o esforço do zagueiro para tentar tirá-la. No segundo, um gol típico de centroavante – um cruzamento a meia altura da direita – a bola cruza a área e Ronaldo completa de chapa para o gol. O bandeira assinala o impedimento sob a constatação de que Ronaldo está com o tronco a frente do beque – mesmo esse estando com o pé a frente de seu corpo, possivelmente dando condições. E depois um cruzamento de DaniloRonaldo aparece por trás da zaga e cabeceia corretamente e a bola caprichosa lambe a trave. Mesmo com dois gols anulados e um perdido – isso traz como lição a ideia de que Ronaldo ainda pode levar muito perigo aos adversários. Sua arma há anos atrás eram o drible e a velocidade – mas Darwin disse que não são os mais habilidosos e fortes que sobreviveram na selva da vida – sim, os mais adaptáveis. E Ronaldo parece ter compreendido tal lição. Dos atributos que o consagraram, hoje ele só possui um – os gols, pois a velocidade e o drible ele perdeu – mas ele se aproveita justamente dessa adaptação – e usa seu posicionamento, seu senso de linha de impedimento, para estar no lugar certo na hora certa e – marcar os gols. Se o problema do Corinthians eram gols – Ronaldo já fez dois – não valeram, mas ele fez. Se isso for um indicativo do que ele ainda pode fazer – a torcida do Corinthians pode ficar tranqüila, pois se o título não vier, gols com certeza virão.





_______________________________________

















































_______________________________________


















.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget

Páginas visitadas

Melhores Postagens