quinta-feira, 23 de julho de 2009

Entrevista.

Anderson Monçores.


Anderson Monçores é um livre pensador. Não é um acadêmico e nem um religioso, por isso pode ser chamado de livre. Faz há algum tempo estudos sobre a bíblia sem estar vinculado a nenhuma igreja ou denominação. É bastante conhecedor da palavra, além de ter uma visão crítica sobre a sociedade, sobre as igrejas e sobre a religião em si. Seu pensamento têm como foco mais a figura de Deus, a questão do fazer o bem e os ensinamentos de Cristo. É um homem discreto e simples, sem afeição a vaidades e polêmicas, apesar de lidar bem com questões polêmicas. Anderson já se mostrou crítico em relação a opinião dos intelectuais, principalmente depois de ter lido “As origens de Satanás” da acadêmica de Princeton Elaine Pagels. Ficando no meio termo entre a academia e igreja, Monçores prefere seguir com suas pesquisas e convicções, e de vez enquanto trocar algumas idéias com amigos, como no papo que teve sobre religião com o Iosbilario.com.

por Marlon Marques.


























1) Qual a relação de Deus com as desgraças do mundo?

R: Se você pensar na tênue linha entre o bem e o mal, você irá sem controle algum tentar achar um equilíbrio, e Deus está acima do bem e do mal, e com certeza, ele deixa o mal acontecer, para que haja algo de bom depois, e até da mesma maneira ao contrário. E desta maneira não há relação, o que há é equilíbrio de forças.

2) Qua o papél da religião hoje?

R: A religião hoje é mais difundida e por causa disso, mais complexa do que em outros tempos. Hoje não está somente em evidência o Judaismo e o Cristianismo, como outras. E todas tem o mesmo papel na sociedade, porém o que nos afasta de uma vida mais religiosa, não é o conceito de religião, mas os dogmas e regras absurdas, que as formam.

3) Qual a sua opinião sobre as disputas entre católicos e protestantes?

R: Todos querem ser certos, todos querem mandar. De alguma forma, nenhum dos dois lados está errado, e de alguma forma, os dois lados tem que se acertar.

4) Qual a raiz do mal hoje?

R: A mesma de cem, duzentos, quatro bilhões de anos atrás. Esse cara antes de ser expulso, estava sempre querendo estar onde não é o seu lugar.

5) Pedro ou Paulo, quem foi mais importante para Igreja?

R: O que seria deles sem Jesus? Da mesma maneira temos que saber antes qual é essa igreja que Jesus fundou no mundo, e aí sim, poderemos saber qual dos dois foi mais influente.


"Deus está acima do bem e do mal, e com certeza, ele deixa o mal acontecer, para que haja algo de bom depois".


6) O que é mais valioso, a fé ou as obras?

R: A fé sem obra está morta. Porém no Apocalipse está escrito que no dia do juízo final, muitos seram julgados conforme suas obras. Então posso te dizer com clareza que não se trata de fé ou obra, mas da benignidade de Deus.

7) O que você acha da midiatização da fé nos programas religiosos da tv?

R: É necessário propagar a palavra, isso sim. O problema são os valores, pois para manter uma igreja normal, é necessário dinheiro, para manter um programa na tv é necessário mais dinheiro. Todo o problema está em alcançar público. Por isso a midiatização. E isso é errado, pois a palavra nos é dada gratuitamente, da mesma forma que é errado se vender a bíblia. Mas ninguém quer gastar dinheiro para produzir e simplesmente dar.

8) O homem nasce bom ou mau?

R: O ser humano é o que ele é. Bom, ruim, ele nada mais é do que desejo. Desejo de comer, desejo de ter, desejo de dar, desejo de roubar, e assim vai. Somos a condição da vida e da sociedade em nossa volta, bem como da nossa criação e nossa índole.

9) Há saída para o nosso mundo?

R: Confúcio disse uma vez: “A saída é pela porta, não há outra saída”. E eu concordo, não devemos nos preocupar em arranjar uma saída, devemos nos preocupar no que iremos fazer até sairmos pela porta.

10) “É mais fácil um camelo passar pelo fundo de uma agulha, do que um rico entrar no reino dos céus”. Como você interpreta essa passagem?

R: O que tenta Jesus nos passar em suas parábolas, sermões e histórias. Jesus com certeza não estava falando de um rico que se apega a valores financeiros, que não são corrompidas por essa fácil enganação financeira. Ele estava falando de pessoas vis, que se entregam a esses mesmos males, e se fecham para os outros seres humanos.


"Não devemos nos preocupar em arranjar uma saída, devemos nos preocupar no que iremos fazer até sairmos pela porta".





.

2 comentários:

  1. Ótima entrevista!!

    A proposta das religiões é até nobre, a de passar para as pessoas um credo, uma explicação do porquê estamos aqui. O que as estraga, entretanto, é a não compreensão do livre arbítrio do ser humano. Tendo o ser humano este direito adquirido, ele tem o poder de gostar e se identificar mais com A do que com B, o que os leva a conhecimentos e verdades diferentes. O pecado das religiões está em não respeitar as diferenças e cada uma julgar-se a única correta, e discriminar aqueles que não se convertem aos seus ensinamentos.
    E quanto ao dia do juízo final... eu não acredito que exista UM dia do juízo final. Ele acontece todos os dias, quando nossas ações nos trazem as consequências, quando colhemos aquilo que plantamos, quando recebemos conforme nossas obras... todos os dias...

    ResponderExcluir
  2. Anônimo9:10 PM

    Resposta para Sweet Toxicant:
    Ola swett por favor me responda de volta neste e-mail
    www.altf4@bol.com.br

    Veja por estas pessoas:
    Sidarta Gautama, ou Buda.
    Ele trouxe ao mundo a sua filosofia, em que nos diz que devemos sempre a nos subtermos ao proximo.Ou seja, se a pessoa nos é uma adversaria má , devemos fazer o bem a essa pessoa.E isso não é uma religião, é uma filosofia de vida.Não contraria a ela é o cristianismo, que muitos consideram a mesma, e que Jesus teve de alguma forma ensinamentos Budicos.O que na duas hipoteses estao erradas, porque no cristianismo se dedica tuda a Deus, e Jesus dizia claramente que tudo que ele fazia era para gloria de quem o ensinou e enviou ou seja,Deus.Entã nesses dois casos a religião não existe.Mas vc esta certa as atuais religiões não aceitam outro pensamento que não seja aquele que não é o seu.Porem Jesus enfrentou isso tambem.Em caso ao juizo final, pois bem, mesmo que vc não acredite, deve acitar que nóis seres humanos estamos nos levanda aisso, ou por vontade divina ou por ignorancia, o dia do juizo esta chegando.

    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget

Páginas visitadas

Melhores Postagens