quinta-feira, 4 de junho de 2009

Ensaio.

Clássico é Clássico e vice-versa.


por Marlon Marques.




















Internacional e Corinthians fazem a final da Copa do Brasil de 2009. Para muitos um confronto óbvio, principalmente depois que ambos eliminaram Flamengo e Fluminense respectivamente. O Corinthians enfrentou na semi-final o Vasco, que por estar na segunda divisão foi tomado como motivo de chacota e presa fácil para o time paulista. O Vasco vendeu caro a classificação e provou que time grande é sempre grande por pior que seja a fase, o próprio Corinthians comprova essa tese, no ano de 2008, na segunda divisão, chegou a final dessa mesma Copa do Brasil, mostrando que mesmo em baixa, continuava grande. Essa tem tudo para ser uma grande final, serão dois jogos de arrepiar, porém sem favoritos. Hoje o time do Internacional vive um momento melhor do que o do Corinthians, pois além de ter um melhor time, joga hoje um futebol melhor, mais consistente. Ambos são campeões estaduais, o colorado é o líder do brasileiro, enquanto o timão ocupa a modesta décima-quarta posição. Os dois times estão bem entrosados, estão juntos há pelo menos dois anos, são equivalentes em muitos quesitos, mas o Inter tem mais jogadores com poder de decisão do que o Corinthians, que conta individualmente com Ronaldo [quando bem], e com a força do grupo – força essa que o Internacional também tem. Entretanto, o Corinthians não chegou atoa nessa final, teve seus muitos méritos e acho que não merece agora ser colocado como azarão contra o Inter. Do outro lado, o Inter também não pode ser julgado pelo parâmetro de que o campeonato gaúcho é inferior ao paulista, e que o Corinthians é mais forte porque venceu o campeonato estadual mais forte do país. Concordo que seja o mais forte mesmo, mas o que dizer de um Inter que já venceu o Corinthians no Pacaembú esse ano? Esse jogo é um clássico do futebol brasileiro. Mesmo envolvendo equipes de estados diferentes, Inter e Corinthians são duas grandes equipes, e duas das doze grandes equipes do futebol nacional. Os dois são campeões mundiais, grandes vencedores em seus estados, o Corinthians é tetra campeão do Brasil, enquanto o Inter é tri campeão. E por falar em campeonato brasileiro, essas equipes já foram protagonistas de duas finais desse torneio. A primeira foi em 1976, o Inter levou a melhor ganhando no Beira-Rio por dois à zero. A segunda em 2005, com o Corinthians acabando como campeão do torneio, o jogo terminou empatado em um à um, com grande polêmica gerada pelo árbitro Márcio Resende de Freitas, que não marcou o penalti do goleiro Fábio Costa no meio-campo Tinga. Cem anos de história está em jogo nesse clássico, pois o Inter que o título no ano de seu centenário – e quem saber ganhar a triplíce coroa – e o Corinthians, que ganhar o título para ter presença garantida na Taça Libertadores de 2010 ano de seu centenário. O Corinthians perdeu André Santos para a seleção, mas o Inter perdeu muito mais, pois além do lateral Kléber [ex-Corinthians], perdeu também o craque Nilmar [também ex-Corinthians]. Tanto comparativa, quanto quantitativamente, o Inter perdeu mais, perdeu sua grande referência no ataque, que agora está apenas com 50% de seu poder de fogo, pois só ficou o Tailson – em grande fase diga-se de passagem. O Inter tem como armas também a consistância do trio de zagueiros [revezando-se entre si], Álvaro, Índio e Danny Morais, a força e a pegada do meio-campo com Magrão e o ótimo Guiñazu. Na frente os dois pontos de desequilíbrio do time vermelho, o já citado Tailson e o craque D´Alessandro, além dos bons elementos surpresa Andrezinho e Alecssandro. Já no Corinthians, os destaques são como sempre, o oportunismo de Ronaldo [mesmo não estando bem], a velocidade de Dentinho, a regularidade da zaga e dos volantes, Elias e Cristian. No banco outra coincidência, os dois treinadores – Mano Menezes e Tite são gaúchos e ex-treinadores [e campeões] pelo Grêmio, rival do Inter. Tite já foi campeão da Copa do Brasil em 2001, na ocasião treinava o Grêmio e derrotou o mesmo Corinthians no Pacaembú. Já Mano Menezes chegou à final com o Corinthians em 2008 e perdeu para o Sport na Ilha do Retiro. Se levar esses dados em consideração, significa que o Mano Menezes já perdeu uma final de Copa do Brasil dirigindo o Corinthans [cargo que exerce atualmente] e Tite já venceu o Corinthians em uma final desse torneio [fato que se repete agora]. Mas como nem torcida e nem estatísticas entrão em campo, esse jogo tem tudo para ser memorável, pelo elenco dos dois times, pelo momento dos dois times e pela qualidade que estará em campo, mesmo com os desfalques causados pela seleção brasileira. Não há favorito, acho que será um jogo muito equilíbrado, e independente de onde for a primeira partida, e de qual for o resultado [da primeira partida], ainda sim não servirá de parâmetro para apontar o campeão. Será campeão o time que souber aproveitar melhor as oportunidades que aparecerem, mas há um ponto de atenção para cada lado. O do Internacional é que tanto na semi-final quanto nas oitavas-de-final, o Inter levou gol em casa, e o Corinthians nos jogos contra o Atlético-PR, Fluminense e Vasco, fez gols na casa do adversário. Então, o Inter precisa de mais atenção na defesa principalmente se o primeiro jogo for em Porto Alegre. O do Corinthians é que o time empata demais, só nos últimos três jogos na Copa do Brasil foram três empates. O fato é que se o Corinthians jogar o primeiro jogo em casa, se empatar em zero à zero ou com gols, pode se complicar para buscar um resultado fora de casa. Fora de casa, o Corinthians empatou com o Vasco, com o Fluminense e perdeu para o Atlético-PR, já o Inter venceu todas as suas partidas em casa, em todas as fases. O Inter perde mais do que o Corinthians, mas ganha mais também. Já o Corinthians toma menos gols, já o Inter faz mais gols, o que assentua ainda mais o equilíbrio entre as duas equipes. Torcida, as duas são gigantes e fanáticas, a do Corinthians é maior, mas em questão de lotar o estádio, isso a torcida colorada também faz, porém quem ganha é o time, pois esse é quem entra em campo. O que nos resta é esperar e torcer para que seja um bom jogo e que não haja interferência de árbitragem. Embora o Inter esteja [não seja] melhor do que o Corinthians, ainda acredito na inexistência do favoritismo quando se trata de um clássico entre os grandes do Brasil. Acredito em melhor fase, melhor time e melhor momento, mas não em favoritismo, pois o Vasco só não está nessa final com o Flamengo por um acaso, ambos mesmo tendo sido eliminados, mostraram que são grandes e que jogaram de igual para igual. Na final será da mesma forma, são dois times da mesma estatura e que entrarão em condições iguais para mais uma final histórica, que vença o melhor.







































































.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget

Páginas visitadas

Melhores Postagens