domingo, 28 de janeiro de 2007

Início, meio e fim........Faith no More


Em 1981, Bay Area, Califórnia, os músicos Mike "Puffy" Bordin, Billy Gould, Mike Morris e Wade Worthington formaram uma banda chamada "Faith No Man". Quando Worthington foi trocado pelo tecladista Roddy Button, e Mike "The Man" Morris saiu, o grupo passou a ser chamado de Faith No More. Depois de uma série de vocalistas como Courtney Love, juntou-se a banda Chuck Molsey em 1983. No mesmo ano, Jim Martin foi recrutado para substituir o guitarrista Mark Bowen. Uma fita demo com quatro músicas gravado em 1984 levou ao primeiro verdadeiro álbum "We Care A Lot" feito em Mordam Records em 1985. Um ano depois a banda mudou para Slash Records, e em 1987 seu segundo álbum "Introduce Yourself" foi lançado. O subsequente tour deles, levou um significante sucesso, mas quando o tour terminou, a banda resolveu demitir Molsey, porque ele bebia demais, limitando sua capacidade vocal e as constantes brigas com os integrantes da banda. Mike Patton o vocalista da banda Mr. Bungle, juntou-se a banda por sugestão de Jim Martin, que andou escutando o grande death metal de um demo da banda. Patton foi contratado em Janeiro de 1989. Em duas semanas ele escreveu letras para as músicas em que o Faith No More estava trabalhando e "The Real Thing" foi lançado seis mêses depois. O álbum foi um sucesso e a banda fez um tour com Metallica por um curto período, tocando para um imenso público. Não era assim até que a música "Epic" foi lançada em um single em Janeiro de 1990. Assim, Faith No More ficou popularmente conhecido em grande parte dos Estados Unidos e a grande frequência com que se passava o vídeo na MTV. Outro vídeo que foi um sucesso foi "Falling To Pieces". Membros do Metallica e Guns N Roses nomearam Faith No More entre os favoritos grupo de rock deles. A banda recebeu o Grammy nomeado de melhor Heavy Metal/Hard Rock performance. No fim do ano "The Real Thing" recebeu o disco de platina. Em 1991, demostrando o grande sucesso de "The Real Thing", Faith No More gravou na Inglaterra um show ao vivo, e com duas músicas que ainda não haviam sido lançadas. O álbum chama-se "Live at Brixton Academy". Um vídeo com a mesma performance chamado "You Fat B**tards" foi lançado. A banda de São Francisco estava agora tocando por todo canto do mundo. O estilo único e o estágio maníaco de Patton tirou para os fãs todos os tipos de música. Com o quarto álbum de estúdio "Angel Dust", Patton teve mais tempo para compor como um membro constante da banda, e Gould, Bottum e Bordin agradeciam ao sucesso de "The Real Thing" tiveram mais confiança na suas habilidades para criar um álbum que eles queriam. No mesmo tempo, Martin começou a ficar discontente com o rumo que a música deles estava tomando. Gould tinha às vezes que "tirar" algumas vezes na guitarra. E Martin não fez muita coisa em "Angel Dust", com exceção da guitarra-heavy em "Jizzlobber". No verão de 1992, depois do lançamento do álbum, o primeiro single, "Midlife Crisis", tocado regularmente na MTV e no rádio. Foi mostrado em vídeos para o b-side "Easy", cujo ficou muito popular na Europa e "A Small Victory" também. Entretanto, Faith No More foi parte do maior tour do ano. Depois desse tour nos Estados Unidos e Europa deu-se relevo a multidões menores. No fim, não teve nenhum single de "Angel Dust" uma medida tomada pelo sucesso de "Epic" e o álbum não vendeu tão bem como "The Real Thing" teve nos EUA, porém vendeu cópias suficientes para levar disco de ouro. Ele ficou mais popular na Europa de na Austrália. O tempo foi passando e a turnê de "Angel Dust" estava completa. O resto da banda concordaram que Jim Martin estava deixando eles para trás com a sua falta de entusiasmo com o rumo que suas músicas estavam tendo. Em novembro de 1993 ele foi afastado da banda. Para o álbum de 1995 "King for a Day, Fool for a lifetime", o guitarrista da banda Mr. Bungle, Trey Spruance foi recrutado. Depois que o álbum foi gravado, ficou claro que Trey não tinha o tempo disponível para a banda. Ele deixou a banda antes da turnê começar. Dean Menta, guitarrista da banda Duh, o substituiu. "King For A Day" ficou em primeiro lugar em alguns lugares da Austrália. Nos EUA ele não ficou tão conhecido. Foram feitos vídeos de "Digging The Grave", "Evidence" e "Ricochet", todas as músicas com um potencial comercial, mas foram virtualmente ignorados pela MTV Americana. Um pouco menos de entusiasmo a respeito dos shows na Inglaterra levou a banda a cancelar a segunda porção dos shows no restante da Europa do álbum "King For A Day", ainda que os membros da banda insistissem que essa seria uma excelente oportunidade para voltar aos estúdios e começar a trabalhar no próximo álbum enquanto ainda estivessem felizes com o rumo levado. Nos próximos dois decorrentes rumores de acabamento da banda como muitos membros da banda dedicaram-se com outros projetos. O baterisra Mike Bordin participou da turnê de Ozzy Osbourne, Mike Patton foi com Mr. Bungle em apoio ao novo álbum e lançou dois trabalhos solo, e Roddy Bottum descobriu o sucesso com seu Imperial Teen. De novo tiveram que ir atrás de outro guitarrista. "Dean estava sendo nosso guitarrista e trabalhava bem no tour, mas quando veio para escrever, nós achamos que nós trabalhávamos diferentemente" disse Billy Gould. Eles resolveram chamar Jon Hudson, um amigo de Billy e membro da banda System Collapse. Logo a banda lança o sexto álbum "Album of the Year" (Junho 1997), singles "Ashes To Ashes" e "Last Cup Of Sorrow" A turnê foi extremamente exitosa, passando pelos EUA, Europa e Austrália. No início de 1998 os rumores de uma possível separação da banda tronaram-se intensos. Várias especulações em torno do futuro da banda se intensificaram ainda mais por causa dos vários projetos paralelos que os membros do FNM resolveram retomar. E no dia 19/04/98, o baixista Billy Gould mandou um E-mail para os fãs com a seguinte mensagem: "Após 15 longos e frutíferos anos, o Faith No More resolveu dar um fim à especulação em relação a sua iminente separação...se separando. A decisão entre os membros é mútua, e não haverá acusações, sem dar nome aos bois, outra que a declaração, pela gravadora, que o "Puffy começou". Além disso, a separação agora irá possibilitar que cada membro siga livremente com seu(s) projeto(s) paralelo(s). E por último, e mais importante, a banda gostaria de agradecer a todos aqueles fãs e aliados que ficaram ao lado e apoiaram a banda em toda sua história." E então o Faith No More fez seu último show no dia 07/04/98 em Lisboa, Portugal.


Fonte: Site Oficial (Traduzido por Leandro Borges Pereira)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget

Páginas visitadas

Melhores Postagens