quinta-feira, 30 de setembro de 2010


Crítica.

Zizi Possi - Um Minuto Além.


por Marlon Marques.

















Sempre tive uma antipatia por Zizi Possi. Sabe aquela implicância sem fundamento, só por de repente ou não ir com a cara ou por mero desconhecimento, era isso. Anos depois eu descobri uma parte do motivo: era por conta de sua filha, a também cantora Luiza Possi. Nunca vi nada na Luiza Possi a não ser uma tremenda barra forçada – sabe aquilo de aparecer a todo custo, isso. Mas nada como o tempo, a maturidade e principalmente o aprendizado crítico que se consegue com o: tempo. Se eu disser que hoje sou fã de Zizi Possi estarei mentindo, e se disser isso de Luiza Possi então, cometerei uma mentira ainda maior. Mas hoje eu confesso humildemente que reconheço nas duas o talento devido – principalmente na mãe, Zizi. É claro que o já falado tempo, gasta as coisas, e Zizi hoje já não apresenta o mesmo vigor de antes, mas como ainda canta bem. Agora a Zizi Possi do início de carreira cantava fácil – com energia e potência sim, mas cantava como que conversando, suavemente. Minha primeira lembrança de Zizi Possi vem de “Per Amore” – o que talvez explique a outra parte da minha antipatia, mas o fator decisivo que fez mudar de vez a visão sobre Zizi Possi foram os homens. Dois na verdade e para ser mais preciso: Chico Buarque e Eduardo Dusek. Por causa de Chico ouvi Zizi cantando “Um Pedaço de Mim” e Dusek me apresentou Zizi de uma forma esplendida no álbum “Um Minuto Além”. O disco de 1981 é o quarto da carreira da cantora – e compositora, descoberta por mim justamente nesse disco. Um disco fantástico, com músicas ótimas e uma cantora em plena forma. Músicas simples, com ótima poesia – começando pela bela “Caminhos de Sol”: “o amor fez parte de tudo que nos guiou, na inocência cega, no risco da palavra amor”. Sonoramente não há muito o que dizer, é música pop brasileira – MPB, flertando um pouco com o jazz e até com o rock. Zizi Possi abusa dos instrumentais – lança mão de vários tipos de saxofones (barítonos, altos e tenores), percussão, piano acústico, cordas, trombones e trompetes – criando climas de intimidade como em “Cá Entre Nós” – de sua autoria. A música tem um suingue todo especial, Zizi conversa com o ouvinte, bem ao pé do ouvido – cantando (ou falando) sobre um fim de relacionamento. E segue íntima em “Never Dreamed You´d Leave In Summer” de Stevie Wonder, num arranjo emocionante. “Engraçadinha” também é uma grande canção – trilha sonora do filme homônimo, traz uma bela poesia musicada, com destaque para as flautas e para o show do trompete com surdina – magistral. Até a clássica “Agora Só Falta Você” de Rita Lee, ganhou uma roupagem nova, mais moderna, com um arranjo que lembra muito Caetano Veloso com a Outra Banda da Terra. “Eu Velejava Em Você” é a música que me trouxe a esse disco como um canto de sereia. A letra é de Eduardo Dusek – mas a interpretação de Zizi Possi parece dar-lhe posse dessa canção. Essa versão ficou muito orgânica – um arranjo singelo, moldura perfeita para a voz doce e suave de Zizi, dando outra dimensão ao cancioneiro de Dusek – sempre marcado pelo humor. A melhor canção do disco eu considero “Assim, Assim” – magistral. Do arranjo a letra, da execução instrumental a execução vocal, lembra um bar numa noite quente, com uma boa companhia, um bom papo e um bom drink. Lembra também coisas antigas e boas do Ivan Lins. Canção forte, fala de recomeço, de nova vida pós-relacionamento – “registra minha partida, no arquivo da sua vida”, além de sacadas geniais como: “se continuasse assim, assim, um dia a gente ia terminar saindo pela tangente ou desidratado de tanto chorar” – uma lição e tanto para quem está por um fio e não sabe como acabar. O disco acaba com duas boas composições de Zizi, a lenta e ótima “Melodia” e a climática e curta “Constatação”. Esse disco me fez olhar para Zizi Possi de outra maneira, e me fez ouvi-la também de outra maneira, agora como uma grande cantora da canção brasileira. Isso me fez ir atrás do resto de sua discografia, e estou gostando muito do que ando ouvindo – faça você também o teste.





_________________________________________
























Zizi Possi - Um Minuto Além. (Philips, 1981).

download.





_________________________________________































.

2 comentários:

  1. Antipatia? quem nunca teve né?

    ResponderExcluir
  2. Anônimo9:52 PM

    Só que nesse caso aqui, era uma antipatia sem conhecer muito. Aquela velha mania humana de julgar sem conhecer. Mas hoje se desfez, gosto bastante de ouvir a Zizi Possi.

    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget

Páginas visitadas

Melhores Postagens