segunda-feira, 10 de maio de 2010


Artigo.

Ronaldo na balança.


por Marlon Marques.





















Após a perda da Libertadores pelo Corinthians, várias questões vieram a tona em torno desse fato. Uma dessas questões diz respeito a Ronaldo e sua importância para o time de Parque São Jorge. Que Ronaldo é importante, disso não se têm dúvida, mas que é fato que hoje ele é questionado pela torcida, isso também não deixa dúvidas. Quanto maior for o peso de um jogador (não literal), maior também será sua cobrança. No caso do Corinthians, é óbvio que a cobrança será maior em Ronaldo do que em Souza, ou Balbuena. Se cobra muito também de quem se espera muito, de quem não se espera não se cobra tanto. Ronaldo têm se queixado muito (há algum tempo) das cobranças e da pressão que sofre no Corinthians. Disse ele que nos Estados Unidos a coisa é diferente, lá eles tratam melhor seus ídolos. Aqui, jogadores e cantores já mataram pessoas em acidentes de trânsito e a eles nada aconteceu, lá (EUA), O.J.Simpson foi preso e Tiger Woods malhado pela imprensa do país – só para evidenciar a diferença. O que no fundo ele quer é ser reverenciado nos bons momentos e nos momentos ruins ser esquecido. Porém esse não é o foco desse texto, sim seus feitos com a camisa alvinegra. Desde que chegou Ronaldo disputou 5 campeonatos: 2 campeonatos paulista (2009-2010), 1 copa do Brasil (2009), 1 campeonato brasileiro (2009) e 1 taça Libertadores (2010). De cinco campeonatos, Ronaldo ganhou dois. Embora tenha perdido mais, há um álibi a seu favor, que está em suas próprias palavras: “eu tenho 33 anos, 8 operações em meu corpo e sinto muitas dores”. Quem conquista dois títulos importantes com essas condições? Ninguém. Ronaldo têm um certo poder de se superar, sua carreira mostra isso, porém essa superação é vacilante e oscilante, uma vez que isso não ocorre sempre. Ronaldo foi brilhante em 2002, mas falhou em 98 e 2006. Se o futebol fosse tão surreal assim, teria ganhado tudo o que disputou. A contrapartida disso tudo é que nos três campeonatos que perdeu, jogou muito mal. Suas atuações foram em certos momentos ridículas, em outras patéticas, e em outra chegou a pegar na bola em apenas 26 segundos. Nos campeonatos paulistas marcou 11 gols, sendo 8 gols em 2009 e apenas 3 em 2010 – ressaltando que mesmo com contusões é muito pouco para alguém de seu nível. No campeonato brasileiro marcou 12 gols e na copa do Brasil 3 gols, assim como na Libertadores, 3 gols. Ao todo em 2010, Ronaldo marcou apenas 6 vezes, o que é um número pífio. Em termos de marketing, visibilidade e finanças, não há o que se discutir, pois os ganhos foram (e são) muitos, tanto para ele quanto para o Corinthians. Porém o torcedor comum não liga para isso. O coração anseia por gols, vitórias e títulos, e quando isso não vêm a cobrança é grande. Ronaldo têm muito mídia. Porém a mídia também o trucida de vez em quando – e nesses últimos tempos o vêm fazendo com mais freqüência por conta de suas atuações. Para o torcedor a perda da Libertadores ofuscou as conquistas anteriores. Torcedor é momento, vive da conquista quando recente, e quando se fala em Corinthians e Libertadores, a equação de fato é diferencial. Se esperava muito dele nessa competição, e diferentemente de todas as outras Libertadores jogadas pelo Corinthians (e perdidas), essa de 2010 tinha o handicap do centenário. Perder em qualquer ano é doído, mas perder no ano do centenário é diferente, e o próprio torcedor sabe que a dor é (e foi) diferente. Para o nível de dependência que o Corinthians e sua torcida tinha em Ronaldo, marcar apenas 3 gols realmente foi pouco. O chamado fenômeno ficou devendo, não apenas gols, mas futebol. Suas atuações foram abaixo da média. Não entremos aqui nos méritos de seu comprometimento com o clube e com sua condição física, mas algo ele não pode negar, seu problema esse ano foi (e está sendo) metafísico, no sentido literal da palavra, foi além do físico, é técnico. Ronaldo têm matado bolas na canela, e isso não ocorreu em apenas um jogo. Têm caído, se enrolado com a bola, errado fintas e perdido gols que não costuma perder. Muitos apontam desânimo, mas eu questiona o porquê. Por seus méritos ele conquistou tudo, títulos importantes ao redor do mundo, tanto pessoais quanto por clubes e seleção. Fama, bens, mídia, diversas mulheres, filhos, e muito dinheiro. Ninguém atuando no país ganha mais do que ele – mesmo ele jogando mal. Estima-se algo em torno de 2 milhões de reais por mês, o que muitos não ganhariam em uma vida. Ronaldo está mal tanto física quanto tecnicamente, o que é normal para alguém de sua idade (técnica nem tanto). Todos temos fases boas e ruins e não sei porque que com Ronaldo seria diferente. É notório que seu rendimento já não é o mesmo do ano passado, é só notá-lo hoje e compará-lo com a imagem dele correndo com o dedo erguido após marcar o gol na final do paulista de 2009 contra o Santos. É evidente a diferença, chega a ser gritante. O descuido foi dele, e portanto ele deve ser responsabilizado. Da mesma forma que é responsável por seus feitos notáveis, deve também sê-lo por seu momento ruim, como esse atual. O Corinthians fracassou na Libertadores, e Ronaldo pessoalmente também fracassou, tanto por suas atuações discretas quanto pelos seus três gols e principalmente porque prometeu o título. Pondo Ronaldo na balança, concluo que no compito geral está meio a meio, ganhou 2 títulos e trouxe milhões ao cofres alvinegros, porém perdeu 3 campeonatos e mais do que isso, perdeu o título mais importante de uma história de 100 anos, a Libertadores. Porém fico aqui pensando, como tudo o que têm, tendo 33 anos, 8 operações no corpo e muitas dores, o que ele ainda faz jogando futebol sendo que seu rendimento já não é mais o mesmo e sua capacidade de dar a volta por cima não ocorre sempre? Eu confesso que não sei.

























































































.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget

Páginas visitadas

Melhores Postagens