sexta-feira, 7 de maio de 2010


Artigo.

Crônica de uma eliminação anunciada ou 100 anos em uma noite.



por Marlon Marques.






















O Sport Club Corinthians Paulista não deixará de completar 100 anos de uma bela história só por causa da eliminação de quarta-feira. Aquele que pensar assim será o mais previsível dos tolos. Porém não há como esconder o sentimento de frustração pela perda da possibilidade de conquistar a América – até porque essa era apenas as oitavas-de-final, ainda havia mais duas fases até a disputa do sonhado título. Um dos erros do Corinthians foi à projeção de seus 100 anos em uma única competição, a troca foi das mais injustas. O peso de nunca ter ganho uma Libertadores redobrou ainda mais nessa inesquecível noite de 05 de maio de 2010. A diretoria do timão não me enganou quando tentou minimizar a Libertadores no ano do centenário. Disse repetidas vezes esse ano o presidente Andrés Sanches: “para o Corinthians ganhar a Libertadores, ele precisa se acostumar a jogá-la, caso não ganhemos esse ano, o que temos que fazer é disputá-la por vários anos seguidos”. Não estou dizendo que é um raciocínio errado, mas esse não era o pensamento no final de 2008 e no fim do primeiro semestre de 2009. Quando bravamente o Corinthians subiu meritoriamente para série A, o presidente reiterou que o projeto era primeiro o acesso a divisão principal (conquistado) e em seguida fazer um bom papel no próximo ano e ir a Libertadores para ganhá-la no ano do centenário, não havia aqui a ideia de não conquistar. Discurso esse mais uma vez confirmado após a contestada conquista da Copa do Brasil, onde tanto presidente quanto jogadores em efusiva euforia disseram que iriam conquistar a América no ano do centenário. Entretanto é necessário pensarmos da seguinte forma, o projeto foi muito bem feito, porém a execução do planejamento não foi. O certo seria o Corinthians ter montado o time no fim do primeiro semestre de 2009, por causa da janela de transferência do meio do ano. Pelo bom desempenho, já se sabia que alguns jogadores iriam ser vendidos, em contra partida, o departamento de futebol também poderia já ter alguns nomes no gatilho para a contratação, não apenas para repor as peças perdidas, mas também para qualificar o elenco. Há, mas isso foi feito, podem dizer os defensores desse planejamento. Sim, respondo eu, foi feito, só que aleatoriamente e no decorrer do tempo. Chegaram jogadores durante o campeonato brasileiro de 2009, no fim do ano, no começo do ano seguinte e até com o campeonato paulista de 2010 já em andamento. Uma das criticas mais contumazes feitas ao bom técnico Mano Menezes é de que ele nunca conseguiu definir um time titular. Todos sabem que eu já dizia há algum tempo que o Corinthians teria problemas em querer definir e entrosar um time durante a competição que ser quer conquistar. O time precisa chegar pronto, jogando bem e já preparado para pequenos reparos, de contusões e suspensões. Outro erro foi jogar fora o campeonato brasileiro de 2009 e não utilizá-lo para preparar os jogadores que já estavam no elenco. Eu defendi a tese de quê o Corinthians perdeu apenas 3 jogadores, um time é feito de 11 em campo, portanto bem menos da metade, ou seja, a base do time continuou a mesma e o Mano Menezes não conseguiu sem as peças que saíram manter a qualidade do futebol que vinha jogando. Quanto à eliminação em si, algumas considerações. O jogo do Maracanã realmente foi prejudicado pelas condições do gramado. Porém ambos os times foram prejudicados, não apenas o Corinthians. O futebol do timão ficou muito abaixo do esperado no jogo do Rio de Janeiro, poderia ter ousado mais, e mesmo o Flamengo tendo tido chances de ampliar o placar – caso da cabeçada de Adriano e da bela defesa de Júlio César, se o Corinthians tivesse arriscado mais, poderia ter feito ao menos 1 gol, que na casa do adversário vale muito. E ironicamente o gol fora tirou a vaga do Corinthians, justo o que gol que não fez na casa do Flamengo e o gol que levou em sua casa. O jogo do Pacaembu sim foi um jogo digno das maiores torcidas do Brasil, digno de grandes jogadores dos dois lados e de um hexa e de um tetra campeão brasileiro. O Flamengo foi muito menosprezado pela imprensa de São Paulo, esqueceram-se que as cores rubro-negras representam tanto quanto as alvinegras, é tradição demais para reduzir a tão pouco como fizeram. Desde que trilou o apito no Pacaembu, o Corinthians foi Corinthians. Jogou com garra, vontade, velocidade e tanto buscou que fez o seu resultado (2X0). E o fez muito antes do que muitos esperavam, dois gols em 45 minutos, porém faltavam ainda mais 45. O Flamengo não jogou no primeiro tempo, não deu tempo. Foi sufocado o tempo inteiro pelo timão, numa pressão que ainda o torcedor alvinegro não vira esse ano, um time realmente diferente, pra frente e em busca de um objetivo que não era somente deles em campo, mas de uma nação inteira de loucos e fanáticos, de gente que deixou família, emprego, mulher e filhos de lado para incondicionalmente torcer e nada além de alegria e satisfação receber em troca. A pergunta crucial é por que o time parou? Era evidente que o Flamengo em desvantagem e perdendo sua classificação iria se adiantar e atacar também (e jogou bem e com inteligência no segundo tempo), mas concordem que se o Corinthians impõe o mesmo ritmo do primeiro tempo, poderia até tomar um gol (como tomou), mas também poderia fazer mais um (o que não fez). O time inexplicavelmente parou. O time literalmente parou diante da brilhante triangulação entre Kléberson e Vagner Love, o atacante do amor bateu na saída de Felipe e os 4 minutos do segundo tempo marcou o gol do Flamengo. O Corinthians tinha ainda 41 minutos para marcar um gol, com a torcida a seu favor, em seus domínios e com um campo em ótimas condições (para não usar a desculpa do Maracanã). O timão ainda contava com um time contratado a dedo, com jogadores específicos para jogar a competição, os campões do torneio Danilo (São Paulo) e Iarley (Internacional), além de falantes da língua espanhola (dominante do tornei) como Defederico, Escudeiro e Balbuena, isso sem contar a maior estrela do elenco e depósito de todas as esperanças, Ronaldo. No primeiro tempo não, mas no segundo tempo pra mim faltou empenho do Corinthians. Todos diziam que o time do Santos era de meninos e que iriam sentir o peso de uma decisão, iriam ficar nervosos e tensos, mas o que se viu no Pacaembu foi um Corinthians nervoso, errando muito na segunda etapa, sentindo o peso não de uma decisão, mas um peso de 100 anos de história. A torcida pode não admitir, mas o segundo tempo ficou muito abaixo da expectativa, ficou muito abaixo do investimento milionário do time e dos parceiros, ficou muito abaixo do que representava essa vaga, do sonho mais importante de toda uma vida e que os jogadores deixaram escapar ou por falta de preparo físico ou por não acreditarem em si mesmos, que poderiam marcar mais um gol sem tomar. As investidas ao ataque flamenguista foram muito tímidas, desesperadas, longe do brilho das estrelas do elenco corintiano. Não vou falar aqui dos erros de Mano Menezes até porque já foram amplamente ditos pela imprensa e torcida. Toda euforia de uma primeira fase brilhante mascarou o mau futebol praticado pelo Corinthians. O time foi eficiente e pragmático, mas não brilhante. O time foi objetivo, mas não convincente, e era mais do que óbvio que quando enfrentasse um adversário mais forte iria sentir as dificuldades. Agora o que resta é chorar, mas aprender com as lições da vida e erguer a cabeça, pois 100 anos não podem acabar em apenas uma única noite.




























































































.

3 comentários:

  1. Anônimo10:23 PM

    .....Depois dizem que corinthiano que é Burro!! .... Além de ser Bambi não sabem fazer contas !

    1º - Vou falar só uma vez! - O corinthians não está a 100 anos sem libertadores porque a libertadores não existe a 100 anos!!! ela iniciou em 1960!!! Bambis sabem subtrair ?? 100 - 60 = ???

    2º Para que vocês saibam, o corinthians ainda não fez 100 anos!! será em setembro, então o centenário ainda começará, a partir de setembro deste ano até setembro de 2011.!!!

    Agora se cuidem vcs bambis ! porque ano passado e este ano ainda não ganharam nada, nem clássico.

    Boa sorte com o cruzeiro pela segunda vez nas quartas de finais...

    ResponderExcluir
  2. Anônimo11:55 PM

    Meu Deus!!!!!!! Quanta coisa estúpida temos que ler nesse mundo.

    Em primeiro lugar eu não sou são paulino. Segundo, ninguém disse e eu não me lembro de ter escrito que o Corinthians está a 100 anos sem libertadores. Outra, também não disse que o Corinthians fez 100 anos, o que está sendo dito é que esse é o ano do centenário. Até 31 de agosto de 2011, o Corinthians ainda terá 100 anos, isso é fato, porém o ano em que completa 100 anos é 2010, portanto o ano do centenário é 2010. Essa sua ideia engana outro, não a mim. Eu na minha condição de santista, também estou torcendo para o Cruzeiro, assim como torci para o Flamengo e como torci para o Atlético-GO, porém sou um analista de futebol além de torcedor e sei reconhecer méritos em meus adversários, tanto que ressaltei o ótimo, impecável primeiro tempo do Corinthians. E outra, o que digo é opinião minha e não fico por aí repetindo o que os comentaristas de TV e rádio dizem, tenho opinião próprio, porque leio livros e estudei pra isso.

    Um abraço.

    Marlon.

    .

    ResponderExcluir
  3. Bando de ignobeis!!!!
    Agora quem da bola bola é o Santos , o Santos é o novo campeão glorioso alvinegro praino.......

    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget

Páginas visitadas

Melhores Postagens