sexta-feira, 16 de outubro de 2009



Artigo.

O Corinthianismo.


por Marlon Marques.



















Muitos de voceis, ou seja, a maioria, irão dizer que é inveja. Mas não é. Os pouco virtuosos irão dizer que é melhor que falem mal, mas que falem de mim. Mas a questão é que o “corinthianismo” é uma coisa muito chata. É fato que a marca Corinthians é muito forte. Nacionalmente seu nome suscita títulos e muitas cifras. É adorado e temido pelos interiores e sertões desse Brasil. Mas o torcedor corinthiano é por demais chato. Acha que seu time é o melhor do mundo, que é o mais importante e que tudo que o envolva é algo superior. Enganam-se os senhores ao pensar assim, pois fanático mesmo é o torcedor do Íbis, que mesmo sem ganhar uma única partida ainda continua torcendo. Dia desses vi uma reportagem sobre um corinthiano que colocou o nome do time em seu próprio nome na carteira de identidade. Uma coisa ridícula dessas tornou-se um fato grandioso, se for assim, o Santos é o recordista, pois o que tem de gente com o sobrenome santos por aí. A Rede Globo, o portal Terra e o jornal O Lance são os grandes culpados disso. Tudo o que o Corinthians faz ou se envolve, esses veículos transformam em mitologia. Tudo no Corinthians é mais do que os outros. Veja. O zagueiro Domingos ex-Santos, hoje na Portuguesa, é considerado um bandido, um criminoso, o jogador mais violento do futebol brasileiro. Se ele for para o Corinthians como quer o Mano Menezes, aí tudo isso muda. Domingos será o novo Rondineli, o deus da raça. Será um beque de seleção, o mais raçudo, a cara da fiel. No Santos é bandido, no Corinthians é mocinho. O Ronaldo quando estava treinando no Flamengo prestes a voltar a jogar pelo time da gávea, era tido como ex-jogador, gordo e acabado. No Corinthians é gênio e tem lugar cativo na seleção. O corinthiano é o único que vai trabalhar com a camisa do time, que leva cartaz com o nome do time em programas de auditório, que grita os hinos do clube no meio da rua. O corinthiano é irracional com a justificativa de que ama incondicionalmente seu time, nunca tem argumentos para dialogar com os torcedores dos outros clubes. Outra característica dos torcedores do timão, é que eles gostam muito de desqualificar as coisas dos outros times. Se um time ganha a Copa Sul-americana, o discurso corinthiano é: “isso não vale nada, é um caça-níquel”. Se o Corinthians é desclassificado de algum campeonato, o discurso é: “há, nem queríamos ganhar mesmo”. Lembro-me bem quando o Cortinhians ganhou o mundial da FIFA em 2000, os corinthianos passaram a dizer que os títulos de Santos e São Paulo nada valiam, e que o legítimo era o deles. Agora, se o campeonato for de “futebol de tampinhas de garrafa” e o Corinthians ganhar, nossa, isso toma uma proporção grandiosa, com direito até a presidente da republica entregando faixas. Libertadores da América só presta enquanto o Corinthians está disputando, quando sai não tem mais valor. Seja o que for, categorias de base, time de idosos acima de noventa anos, time de mães solteiras, de menores da Febem ou escola de samba, se é Corinthians, tem valor. O corinthiano evoca glórias do passado sempre que estão em baixa, quando são os outros, ou é viúva do Pelé, ou quem vive de passado é museu. O corinthiano é especial, é dos atributos sociais, o mais vantajoso. Quer ter algum valor social, seja corinthiano. Quer aparecer na tevê, seja corinthiano. O ditado diz que há os corinthianos, e os anti-corinthianos. Nada é maior inverdade. Todos temos nossos clubes, e o Corinthians é apenas mais um dos nossos rivais. Quando o São Paulo está numa final, quem de nós não torce contra? O mesmo se dá com o Santos, com o Palmeiras, etc. O vascaíno torce para o Flamengo? Quem dirá o cruzeirense para o Atlético-MG ou o gremista para o Inter? É óbvio que não. O Roger ex-Fluminense, certa vez disse que o Corinthians em nada devia em estrutura a qualquer outro clube do mundo. Isso sem contar o Chico Lang. Esse eu nem comento. Tudo do Corinthians é mais do que os outros, mas isso não significa que ele seja maior do que os outros. A chamada invasão do Maracanã de 76 por exemplo, é um acontecimento mais mítico do que real. Inventam muita coisa a favor do timão. Boa parte da imprensa é corinthiana, isso facilita. A própria final de 77, é menos épica do que nos é apresentada. Ninguém fala dos escândalos envolvendo o Rui Reis e o Dulcidio Vanderley Boschilla. O Corinthians não é um time mais abençoado por Deus do que os outros, é mais abençoado pelos homens. É um time de massa, é. É um grande clube, sem dúvida. Mas não é maior do que qualquer outro dos doze gigantes do nosso futebol. O corinthianismo é um doença grave. Afeta tanto imprensa quanto o torcedor comum. Eles são chatos, gritão, se impõe a força e são desagradáveis. Todo jogo do Corinthians é lotado. Afinal, a fiel nunca abandona o timão. Teve um Corinthians X Atlético-PR em 2005, onde foi cinco à zero para o time paranaense, onde foram cinco mil torcedores. Quando o Corinthians perde o jogo, a imprensa diz que o Corinthians quis perder e nunca que o adversário teve méritos. No campeonato brasileiro desse ano, o corinthianismo está mais em alta do que nunca. Como o timão já tem a vaga da Libertadores, sempre que perde a desculpa é essa, “eles que corram atrás, nós já temos a vaga”. Basta uma vitória para que o discurso seja: “Corinthians briga pelo título”. Em certa situação do campeonato, o Santos estava com 36 pontos e o Corinthians com 37. Independente das diferenças de qualidade entre as duas equipes, o discurso da imprensa era de que o Santos não tem nenhuma chance de chegar a Libertadores, e o Corinthians briga pelo título. Mas a diferença era 1 ponto. Mas para o Corinthians tudo dá. Isso não é corinthianismo? O cúmulo do corinthianismo é o De Federico concorrer no troféu mesa redonda como melhor meia do campeonato brasileiro. Outro cúmulo foi quando o Corinthians contratou o Bill, o jornal O Lance estampou-o na capa com a manchete: “O búfalo da fiel” – em referência ao personagem búfalo Bill. Isso é brincadeira. O corinthiano acredita ser superior aos demais, fala de sua paixão como sendo a maior. No Corinthians é como na cidade de Itu, tudo é grande. A pressão, o peso da camisa, o preço da camisa, o amor, o fanatismo, o tamanho da torcida, tudo. Nos outros não é igual lá. Lá tudo é diferente. O retorno financeiro faz com que tudo isso seja possível. Porém sempre há os que não acreditam em tudo que sai no jornal ou que se diz na tevê. O Corinthians não é maior ou menor do que os demais, e isso de ser maior é só sua torcida que acha isso. Agora experimente perguntar a uma mãe se ela acha seu filho bonito, adivinhou a resposta?































































.

4 comentários:

  1. Anônimo7:26 PM

    Meu caro o mundo gira em torno de varias coisas, do Sol, de si propia, de dinheiro, enfim de varias coisas, entre elas esta a opnião das pessoas, entre elas sãopaulinos, palmeirenses, santistas e corinthianos. A sua observação atraves de criticas de genero negativo, em relação a uma coisa que é resiproca a diversos times.A torcida sãopaulina em sua grande maioria é arrogante.A santista se consider inigualavel, a vila mais famosa do mundo.

    ResponderExcluir
  2. Anônimo7:37 PM

    Como eu ia dizendo, os palmeirenses a academia, o unico clube de futebol a derrotar o Santos na epoca de Pelé.O corinthans ficou mais de 20 anos na fila, foi rebaixado, entre outras coisas.O flamengo, tem a maior torcida do Brasil, o Inter é o clube com mais assossiados, o corinthans a maior torcida de São Paulo, e o que que tem tudo isso ?Ibobe, renda, lucro, publico e etc.Antes de levantar o seu dedo da justiça contra o corinthans e enumerar seus erros, levante seu polegar opositor e observe.

    ResponderExcluir
  3. Anônimo7:45 PM

    E preste atenção, q os outros clubes tambem tem o rabo preso, o Fluminense ainda não subiu da segunda divisão, inventaram uma copa João Avelange, e quem tava e ficou desde então, o Fluminense.O São Paulo, que gosta de cantar aos quatros ventos que eles são clube europeu, a melhor diretoria do Brasil, e decidem se querem determinado juiz para apitar o jogo deles.Não aponte erros para um quando todos não prestão...

    ResponderExcluir
  4. Anônimo10:02 PM

    Concordo com você em parte. E outra, tenho diversos amigos corinthianos e considero o Corinthians um grande clube. Apenas não acho que é o melhor ou que seja melhor do que os demais. É um dos grandes. É um dos que representam bem o nosso futebol, com seus craques, com sua camisa, seus títulos e sua história. Agora temos que concordar, a mídia faz do Corinthians muito mais do que ele é. O Chico Lang teve a coragem de dizer que o Corinthians foi o primeiro grande clube que o Mano Menezes treinou, cara, e o Grêmio? Isso aí não é corinthianismo? Ninguém é neutro, eu não sou ingênuo a essa ponto, mas também não precisa desse parcialismo todo. Se quiserem criticar que critiquem, o Corinthians é mais um dos grandes, não é o único e temos que dizer onde ele erra porque ninguém nesse mundo é isento de erros ou está acima da crítica. E esse negócio de menosprezar os outros é errado, se xingar o time dos outros como muitos fazem, tem que haver respeito de todas as partes. Outra coisa, não é só porque se tem uma grande torcida que isso faz de um time o melhor. Se fosse assim, Flamengo e Corinthians nunca perderiam campeonato nenhum e isso não acontece.

    M.M.

    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget

Páginas visitadas

Melhores Postagens