quinta-feira, 14 de maio de 2009

Crônica.

O intercessor do Parque Antártica.


por Marlon Marques.




















São Marcos o envagelista é o padroeiro de Veneza, e nessa cidade está enterrado em baixo da catedral que leva seu nome. Marcos, o santo goleiro do Palmeiras, também deverá permanecer eternamente no solo alviverde por tudo o que já fez com essa camisa. O símbolo de São Marcos é o leão, e o santo do parque antártica derrotou o leão. Se São Jorge matou o dragão, São Marcos matou o leão, um bravo leão diga-se de passagem. O leão é o símbolo do Sport Clube Recife, que tentou mas não conseguiu matar o porco, numa zooanalogia. Santos são homens diferentes, mas são homens, possuem suas fragilidades, lembrem-se que em território japonês há dez anos atrás, São Marcos, foi apenas Marcos, o homem, pois falhou no gol feito pelo Manchester United na final do mundial interclubes. Porém seu processo de beatificação e posterior canonização se deu na taça libertadores da América no ano de 1999 – a mesma que levou o Palmeiras a final do mundial de clubes. Nessa Libertadores Palmeiras e Corinthians se enfrentaram, na decisão por penaltis nas quartas-de-final, Vampeta bateu o penalti e Marcos fez seu primeiro milagre. O Palmeiras foi o campeão dessa edição da Libertadores, porém os grandes milagres começariam mesmo no ano seguinte. O Palmeiras cruzou novamente com o Corinthians na semi-final da Libertadores de 2000. Esse seria apenas mais um Derby, mas não foi, foi o Derby. Foram dois jogos de gigantes, ambos do mesmo tamanho, embora os dois times fossem compátiveis [e o Corinthians tendo jogado melhor nos dois jogos], o que diferenciava os dois times era que um deles tinha um santo. Esse time era o verde, e isso fez toda a diferença. Em uma das cenas mais marcantes da história do futebol brasileiro, estavam frente a frente no último penalti da primeira seqüência Marcos e Marcelinho Carioca, dois craques. “ – Lá vai Marcelinho com o pé direito, Marcelinho e Marcos. Partiu Marcelinho bateu, Marcos pegou”, narrou Galvão Bueno – já que a Globo detém sozinha os direitos de transmissão da Libertadores. A partir desse milagre, vieram outros grandes milagres, na Copa do Mundo de 2002 na Coréia do Sul e no mesmo Japão onde Marcos falhou, fez defesas decisivas durante toda competição, mas se os dois gols de Ronaldo selaram o penta campeonato, a defesa de Marcos no chute de Neville iniciaram a conquista. Marcos além de ser um grande jogador, o craque do gol, é bastante elogiado como pessoa por jogadores, jornalistas, treinadores, e pessoas do meio esportivo. Foram poucas as vezes que Marcos se meteu em confusão, houve uma situação em que o santo saiu de seu corpo, e agrediu um jogador adversário, mas logo se desculpou e continuou a construir a imagem de ídolo do Palmeiras e porque não do Brasil. Marcos é dos poucos jogares admirados por todas as torcidas, e a exemplo de Ronaldo, também sofreu lesões seguidas, passou por fases ruins, muitas falhas e chegou a ser questionado, mas se recuperou, deu a volta por cima, e hoje volta a viver uma grande fase. O jogo que corrobora com essa afirmativa é o segundo jogo das oitavas-de-final contra o Sport. Na edição da Libertadores de 2009, o Palmeiras não estava bem. Fez um campanha muito ruim na primeira fase, se classificando no último jogo no último minuto contra o Colo Colo com um golaço de Cleiton Xavier. Pelo retrospecto e pelo momento na competição dos dois times, o Sport foi apontado por 9 entre 10 jornalistas ou cidadãos como o grande favorito a vaga. Desde 2007, foram dois empates, duas derrotas e seis vitórias do Sport em dez confrontos, entre Libertadores, Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro. O Palmeiras sofreu uma pressão violenta, quase não foi ao gol do Sport, que dominou a partida inteira, durante os 90 minutos. Porém entraram em campo na Ilha do Retiro para esse jogo, 21 jogadores e um santo. E isso fez a diferença mais uma vez. São Marcos fez várias defesas, com as mãos e com os pés, no primeiro e no segundo tempo. Literalmente baixou o santo em Marcos, fez defesas quase impossíveis, ou melhor, impossíveis para os homens, mas possíveis para os santos, estava realmente numa noite iluminada, mesmo tendo tomado um gol. O Sport precisava de mais um gol, e foi atrás, mas Marcos se encarregou de construir um muro abençoado no gol verde não deixando nada passar. A concretização de sua santidade nesse jogo foi na decisão por penaltis. No mesmo lado do jogo contra o Corinthians, na mesma Libertadores da América, contra um time que jogou melhor [assim como o Corinthians], São Marcos brilhou de novo. Marcos pegou três penaltis, e de jogadores destaque do time do Sport, Luciano Henrique, Fumagalli e Dutra, que por coincidência são ex-jogadores do rival do Palmeiras, Santos. O último penalti batido por Dutra, foi batido no mesmo canto de Marcelinho, e foram essas as cobranças que definiram as vitórias do Palmeiras nessas duas ocasiões tão semelhantes. São Marcos mais uma vez superou as contusões e voltou a sua melhor forma, física e técnica, e mesmo estando com 36 anos, provou mais uma vez que é um grande goleiro ainda, e um grande santo, capaz de fazer milagres quando mais se precisa.


foto: Otávio de Souza - Futura Press.


.

Um comentário:

  1. Parabéns cara...deu até arrepio lendo essa crônica!
    Você sabe que sou Palmeirense FANÁTICO e esses jogos foram realmente testes para os corações dos Palmeirenses.

    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget

Páginas visitadas

Melhores Postagens